domingo, 18 de dezembro de 2011

Quer conhecer a riqueza vinícola, cultural e gastronômica de Portugal?

Se você tem vontade de conhecer não apenas os vinhos portugueses, mas também a rica gastronomia e cultura portuguesas, aproveite a oportunidade de viajar às terras lusas, na companhia do amigo João Filipe Clemente. Confira os detalhes clicando na imagem abaixo:

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Novos vinhos e iPad2 no Dom Franscisco

Na última terça-feira, participei do evento que lançou a nova carta de vinhos do restaurante Dom Francisco, na 402 Sul, em Brasília.

A nova carta conta com cerca de 500 vinhos, oriundos de 22 países. Além dos principais países na produção vinícola, como França, Itália, Portugal e Espanha, também estão presentes países menos conhecidos por seus vinhos, como Tunísia, Marrocos, Croácia, Eslovênia e Israel. A elaboração da carta coube à Giuliana Ansiliero (sócia-proprietária), em conjunto com o sommelier da casa, Joaldo Lima, e com o Marcos Rachelle (o Marquinho da Art du Vin).

Outra novidade muito interessante foi a adoção de 4 iPad's para a carta de vinho. Além de ser atrativa visualmente, a navegação pela carta eletrônica já traz sugestões de harmonização para os vinhos, o que pode ser uma saída para pessoas que se sentem intimidadas em pedir sugestões ao sommelier. Mas posso garantir que quem pedir dicas ao Joaldo será muito bem atendido e e receberá a indicação mais adequada!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Vinho relaxa? Nestes lugares, eu não tenho dúvida!

O site da FOX NEWS trouxe uma bela coletânea de "Wine Spa's". Esse "Top Ten" elenca spa's vínicos em vários países, como Itália, França, Áustria, Espanha, Argentina, África do Sul e Estados Unidos. Confira clicando aqui.

Aqui no Brasil, tenho conhecimento do Hotel & Spa do Vinho Caudalie, em Bento Gonçalves, que faz parte do mesmo grupo de alguns dos spa's mencionados na coletânea (Caudalie).

Mais uma bugiganga...

Cada hora aparece uma bugiganga nova para resfriar ou aerar instantaneamente o vinho. Hoje encontrei uma que promete manter o seu vinho fresco. O princípio aplicado é parecido com o de uma serpentina de chope. Tenho sérias dúvidas sobre a eficiência. Em todo caso...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Um vinho especial para um grande momento

No último domingo, escolhi um vinho especial. Afinal, a celebração envolvia o título brasileiro de 2011, conquistado pelo glorioso Sport Club Corinthians Paulista.
Na companhia de amigos igualmente corintianos, provei o Bonnes Mares Grand Cru 2004, do Domaine Gérard Peirazeau et Fils. Este magnífico tinto borgonhês, da Côte de Nuits, foi escoltado por um belo ravióli de marreco, no restaurante Dom Francisco da 402 Sul, aqui em Brasília.

Salve o Corinthians!!!

sábado, 3 de dezembro de 2011

Você conhece a região de Chianti?

Sabidamente uma das mais belas regiões do mundo, a Toscana tem seus encantos. Vale a pena conhecer.

Se você ainda não esteve por lá, confira este belo vídeo sobre o Chianti. Se já esteve, mate a saudade (assista em tela cheia, a imagem é ótima). De quebra, aprenda a fazer um risotto.:

Rótulo interativo, "pero no mucho"...

Ontem vi essa notícia: "Vitrine cria o 1º rótulo interativo do Brasil para Viapiana Vinhos e Vinhedos" e fiquei realmente curioso em saber do que se tratava. Afinal, numa época com tantos avanços tecnológicos, QR Codes e outras coisa do gênero, imaginei que fosse algo, digamos, "hi-tech". Mas não é bem assim...

Eis o rótulo "interativo":
O que chamaram de "interativo", na verdade, é um caça-palavras...

Sinceramente, eu não sabia que aquelas revistinhas de que eu comprava na década de 1980 já eram "interativas".

A idéia de colocar até que me parece interessante. Mas daí a chamar isso de interatividade...

Entrevista: Jay Miller, "auxiliar" de Robert Parker: "A Espanha tem um vinho para cada gosto"

Confiram a entrevista de Jay Miller sobre vinhos espanhóis. Miller é atualmente o responsável por provar, para a revista Wine Advocate, de Robert Parker, os vinhos dos estados americanos do Oregon e Washington, além dos oriundos dos seguintes países: Espanha, Austrália, América do Sul e Grécia. Os vinhos do Porto "Vintage" também estão sob os seus "cuidados".






sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Rubi Wine Bar

Esta dica é para os paulistanos! Mas, claro, também vale para quem visita a capital paulista.


O Rubi Wine Bar, nos Jardins, foi criado com a proposta de ser um local aconchegante e descomplicado para curtir bons vinhos e bons petiscos, com toda a liberdade para experimentar e aprender mais sobre o mundo enófilo. A inspiração dos empresários Mayra Rovai e Fabricio Andrade para criar o wine bar foram os pequenos bares de Roma e da região da Toscana (Itália), onde o casal passou a lua-de-mel - locais despretensiosos onde era possível passar horas conversando, sempre com uma farta escolha de bebidas e acompanhamentos.

A carta de vinhos do Rubi, montada com a ajuda do consultor Ricardo Bohn Gonçalves, conta com 40 rótulos listando as principais castas e apostas de várias partes do mundo, como o branco neozelandês Hunter’s Sauviginon Blanc (R$ 99 a garrafa), o tinto italiano Rupestro Cardeto (R$ 59 a garrafa), o tinto australiano Stump Jump Red Vintage 2008 (R$ 115 a garrafa), e o vinho de sobremesa italiano Ventus Moscato di Sicilia Val de Brun (R$ 12 a taça). A intenção da casa era trazer exemplos de várias regiões produtoras em um menu reduzido, próprio para ser bem explorado pelos clientes. A apresentação da carta chama a atenção: ela chega à mesa colada em uma garrafa de vinho.

Uma boa sugestão, especialmente para a happy hour, são os vinhos em taça, como o argentino Paso El Portillo 2010 (tinto ou branco, R$ 12 a taça) e o Carmen Cabernet Sauvignon 2009 (R$ 21 a taça). A casa também conta com uma boa seleção de espumantes selecionados, como os franceses Colin Crémant de Limoux (R$ 79 a garrafa) e o champagne Drappier Carte D’or Brut (R$ 250 a garrafa), além do brasileiro Salton Brut Reserva Ouro 2009 (R$ 59 a garrafa).

O “Vinho da Semana” é uma ótima pedida para quem quer conhecer vinhos diferentes: de segunda a sábado, um novo rótulo é vendido em taça. Também a garrafa sai por um preço especial.

Para comer
Para acompanhar os vinhos, o Rubi Wine Bar traz uma carta de aperitivos e petiscos, próprios para dividir com os amigos à noite ou para apreciar com uma companhia especial. Entre os destaques estão as bruschettas (R$ 17 por três unidades), com sabores como o de presunto Parma, queijo chevrotin e rúcula, o de cogumelos com roquefort, o de tomates frescos com manjericão e o de salmão defumado com cream-cheese, ou ainda a polentinha com carne moída ao molho oriental (R$ 17) e a panelinha de camarão ao curry com mini legumes e arroz jasmim (R$ 26).

Combinação mais do que tradicional quando se fala de vinhos, as tábuas de queijo e charcutaria também estão presentes no cardápio do Rubi. Algumas combinações disponíveis são a de queijo gouda, salame cacciatore e azeitonas (R$ 19) e a que traz queijos gouda e grana padano, salame cinquelone, presunto Parma, azeitonas e caponata (R$ 39).

A casa também conta com algumas sugestões de pratos, criados para se harmonizarem com a carta de vinhos. Algumas das opções são o penne ao gravlax (salmão gravlax com molho cítrico e aspargos, R$ 34), o risoto de morcilla (com farofa de torresmo e couve-manteiga, R$ 36) e o magret de pato grelhado servido com chutney de pera e risoto de queijo brie e aspargos (R$ 52). Para acompanhar as sugestões de vinhos de sobremesas, doces como a torta de marzipã com ganache de chocolate e sorvete de creme (R$ 19) e o tiramisù (R$ 15) são boas pedidas.

No horário de almoço, de segunda a sexta-feira, o Rubi também conta com um menu executivo. O wine bar oferece uma salada e duas opções de prato do dia por R$ 25.

Ambiente
O projeto do Rubi Wine Bar é assinado pela arquiteta Camila Papin e decorado com objetos pessoais dos proprietários. Os tijolos e a madeira utilizada na fachada do wine bar vieram da demolição de um sítio da família em Rio Claro. Com tijolos aparentes no balcão de entrada, paredes cor de vinho, e uma área com confortáveis sofás, o local reflete a proposta de ser descomplicado e aconchegante. Luminárias feitas com garrafas de vinho e pôsteres variados chamam a atenção dos clientes.

O som ambiente é uma atração à parte: a casa é uma das primeiras em São Paulo a adotar o sistema espanhol Oqulto, em que os amplificadores de som, acoplados atrás do gesso no teto, ecoam por todo o local de maneira uniforme. Já um quadro do cantor Ray Charles, num dos cantos do salão, toca trechos de canções do artista, frases de filmes e sons diversos, como pios de pássaros.

Rubi Wine Bar
Alameda Jaú, 1.595, Jardins.
Tel. (11) 4323-1667
E-mail: oi@rubiwinebar.com.br
Horário de funcionamento:
Almoços: de segunda-feira a sábado, das 12h às 15h.
Noite: de terça a quinta-feira, 19h à 0h. Sextas e sábados, 19h à 1h.
www.rubiwinebar.com.br

Foto: divulgação

Adolfo Lona Nature


E entre os muitos espumantes que pude provar, o que mais me agradou, sem dúvida, foi o Adolfo Lona Nature Pas Dosé.

Como o nome já indica, não há licor de expedição. Também não há açúcar residual (que pode sobrar ao final da elaboração do vinho base), resultando este espumante feito pelo método champenoise (o tradicional, em que a segunda fermentação ocorre na garrafa), extremamente seco e agradabilíssimo!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Brinda Brasil é amanhã!!!

Espumantes premiados a preços atraentes

As festas de fim de ano estão chegando e, para brindar com a família e os amigos, nada melhor do que um bom espumante bem gelado. Melhor ainda se for possível abastecer a adega com bebidas premiadas internacionalmente e a preços inferiores aos de mercado. Você terá essa oportunidade no Brinda Brasil - 1º Salão do Espumante de Brasília, nesta terça-feira, 29 de novembro, no Espaço Cultural do Complexo Brasil 21, em Brasília.

Mais de 60 rótulos de espumantes nacionais, produzidos em dez vinícolas da Serra Gaúcha, estarão expostos durante o evento para a degustação dos apreciadores, que poderão comprar diretamente do produtor, com descontos, a quantidade que desejar, desde uma garrafa até quantas caixas quiser. É uma oportunidade única em Brasília, já que um evento desse porte, apenas com espumantes nacionais, nunca foi realizado antes fora do circuito gaúcho.

Estarão presentes as seguintes vinícolas: Adolfo Lona; Casa Perini; Casa Valduga; Dal Pizzol; Domno; Gran Legado; Miolo; Monte Pascoal; Pericó e Santa Augusta. A Super Adega dará suporte à comercialização dos produtos.

Além de provar e comprar quantos espumantes quiser, o visitante poderá degustar e adquirir também produtos do Mercado Municipal (queijos, pães, linguiças, bacalhau, molhos etc), experimentar bolos, bombons e petit fours fabricados artesanalmente e saborear o conceituado café de Antonello Monardo, todos com estandes no local. As melhores águas minerais naturais e gasosas do Brasil serão oferecidas gratuitamente ao público.

Quem quiser saber mais sobre produção e harmonização de espumantes, entre outros assuntos relacionados à bebida, poderá assistir, na parte da tarde, a palestras de especialistas renomados, como o produtor e enólogo Adolfo Lona, o sommelier e curador do evento Paulo Kunzler e o sommelier e diretor da Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho (SBAV-DF), Gilvan Pires de Sá. Haverá também uma Rodada de Negócios, orientada pelo Sebrae, para facilitar o comércio entre produtores de espumantes e empresas locais.

Quem for de carro até o evento contará com o serviço de vallet park do Brasil 21. Já os que quiserem ficar à vontade para a degustação dos espumantes, sem se preocupar na hora de voltar para casa, haverá um estande da Cooperativa Unitáxi que oferecerá transporte com 30% de desconto.

Se você não comprou o seu ingresso antecipadamente, pela internet, ainda pode participar. A partir das 14h desta terça-feira haverá uma bilheteria montada no local para a venda de ingressos. E você ainda poderá ajudar instituições de caridade se levar 1 kg de alimento não perecível (não obrigatório).


BRINDA BRASIL - 1º SALÃO DO ESPUMANTE DE BRASÍLIA

Nesta terça-feira, dia 29 de novembro de 2011

Das 14h às 24h

Espaço Cultural do Complexo Brasil 21

Palestras, rodada de negócios, degustações e compras com desconto

Ingressos à venda no local do evento, a partir das 14h desta terça-feira

domingo, 27 de novembro de 2011

Presidente da Comissão Vitivinícola Regional do Dão visita Brasília

Na última terça-feira, estive no restaurante SOHO, em Brasília. Foi uma bela degustação de vinhos portugueses, da região do Dão.

Visitei essa região no fim do ano passado e falei aqui dos vinhos da Quinta da Boavista (Terras de Tavares e Torre de Tavares) , da Quinta dos Carvalhais, da Casa de Darei, da Quinta dos Roques e da Quinta da Bica.

Neste jantar aqui em Brasília, provei vinhos de várias vinícolas, entre elas, Quinta de Lemos, Quinta de Cabriz, Quinta do Cerrado, Quinta do Serrado (sim, são duas vinícolas distintas - não se trata de erro de digitação), Lusovini, Quinta da Garrida, Casa da Passarela e Quinta da Pellada. Aliás, o destaque ficou para o "Pellada 2001". Apesar da idade, essa safra somente será lançada em 2012 e estará restrita ao mercado brasileiro e ao belga. No Brasil, o lançamento deve ocorrer no Encontro Mistral.

Como cheguei cedo ao evento, tive o privilégio de conversar longamente com o simpático presidente da Comissão Vitivinícola Regional do Dão, Arlindo Cunha (foto). O assuntos foram diversos, mas o principal foi o renascimento do Dão como região produtora de grandes vinhos.

Adega do Vinho realiza degustação de vinhos franceses

Será no dia 29, às 19:30. Para mais informações, clique aqui.

sábado, 26 de novembro de 2011

Montalcino: Casanova di Neri no Piantella

Nesta semana, tive o privilégio de degustar vinhos da vinícola toscana Casanova di Neri, na companhia do enólogo e proprietário da azienda, Giacomo Neri (foto).
O evento ocorreu no tradicionalíssimo restaurante Piantella, aqui em Brasília. Um dos proprietários da casa, Marco Aurélio Costa, foi o anfitrião e recebeu os comensais no conhecido "Cantinho do Dr. Ulysses", no piso superior do restaurante, em meio às milhares de garrafas de vinho oriundas das mais diversas e nobres regiões vinícolas do mundo.

Escoltados por belos pratos, como a Polenta Trufada com Shitake e o Medalhão com Ervas guarnecido com Palmito Salteado, foram 3 os vinhos provados:

- Brunello di Montalcino 2005
- Pietradonice 2005
- Brunello di Montalcino Cerretalto 2003

O primeiro deles (rótulo branco, à esquerda na foto acima), foi o meu preferido, ao menos para se beber neste momento. Além de estar pronto, perfeitamente evoluído, mostra bem a tipicidade de um Brunello, com elegância. Este vinho estagia por 42 meses em grandes tonéis de carvalho esloveno. Como todo Brunello, tem 100% de Sangiovese Grosso.

O Pietradonice 2005, um corte de 90% de Cabernet Sauvignon e 10% de Sangiovese, passa 18 meses em barricas de carvalho. Bem mais estruturado que o o vinho anterior, sugere mais tempo na garrafa para chegar em seu ponto alto, embora já possa ser bebido agora.
O Brunello di Montalcino Cerretalto, elaborado com uvas oriundas de um vinhedo específico e produzido apenas em safras excepcionais, mesmo sendo mais velho que seus "irmãos", ainda é uma "criança". Seu apogeu ainda deve levar alguns anos. Esse vinho estagia por pouco mais de 2 anos em barricas de carvalho, além de passar, no mínimo, outros 2 anos na garrafa antes de ir ao mercado.

Por fim, cerejas lambadas foram servidas em harmonia com um Vinho do Porto Ruby, da Taylor's.

Os vinhos da Casanova di Neri podem ser encontrados na importadora Expand.

domingo, 20 de novembro de 2011

Roma Caput Vini: A história que os italianos não sabem e que os franceses não querem saber

O livro "Roma Caput Vini - La sorprendente scoperta che cambia il mondo del vino", escrito por Giovanni Negri e sua esposa Elizabeth Petrini, editado pela editora italiana Mondadori, será apresentado em 2 de dezembro no Castello Banfi, em Montalcino (Toscana, Itália). O romance, que mostra o quão forte era a ligação entre Roma e do vinho, faz uma reconstrução histórica precisa para descobrir que o vinho está para Roma assim como Coca-Cola está para os Estados Unidos, estabelecendo que muitos dos vinhos mais famosos de hoje, italianos e franceses, nasceram nas mãos dos romanos.

No coração do livro está a descoberta feita recentemente pelo professor Attilio Scienza, Professor de Viticultura da Universidade de Milão, estudioso da genética da vinha, que, desde o início dos anos 80, trabalha com Castello Banfi para o projeto de zoneamento e pesquisas sobre a Sangiovese clonal. Graças aos estudos de seu grupo e às mais avançadas técnicas de análise de DNA, o prof. Scienza identificou, entre as as castas européias, 78 descendentes genéticos da Heunisch, a uva espalhada pelas legiões por todo o império romano.

Por essa perspectiva, Roma seria uma "mãe substituta" dos vinhos europeus, não só por seu grande poder militar como agrícola, difundindo a videira pelo continente. As majestosas legiões romanas, em tempos de paz, transformavam-se em formidáveis instrumentos de difusão e cultivo da videira.

Fonte e Foto: www.sienafree.it

sábado, 19 de novembro de 2011

Meu vinho com Susana Balbo

Estou participando do concurso "Corte Susana Balbo", promovido pela Cantu Importadora em parceria com a vinícola Dominio del Plata e com o canal Wine Bar.

Participam 29 blogueiros brasileiros ligados ao vinho. A mecânica do concurso, em síntese, é a seguinte:

- Cada blogueiro recebeu 5 pequenas garrafas de vinho varietal (feitos de uma determinada uva em uma determinada região), além de uma pipeta e uma proveta (foto acima).
- De posse desses vinhos (Um Malbec de Gualtallary e outro de Vistalba, um Cabernet Sauvignon de Ugarteche e outro de Altamira e um Tannat de Ugarteche, todos da safra 2011), os participantes devem fazer experiências e chegar ao seu corte predileto, pois poderão concorrer com somente um.
- O autor do corte escolhido por Susana Balbo (os cortes serão reproduzidos por ela e sua equipe, na vinícola) terá seu vinho será realizado durante o ExpoVinis 2012, com a presença de Susana Balbo e do vencedor, que assinará o rótulo em conjunto com ela.

O anúncio do vencedor será transmitido direto de Mendoza/Argentina no dia 02 de dezembro, através do canal WineBar (www.winebar.com.br).

Ainda que sejam desnecessárias apresentações, nunca é demais lembrar que Susana Balbo figura entre as mais importantes enólogas da Argentina.

Hoje fiz minhas "experiências", com quatro diferentes cortes e cheguei ao meu favorito. Agora é esperar pelo resultado!

Abflug e Undurraga

Ontem recebi uma ótima notícia do amigo Marcelo Toledo (uma figuraça!). Está confirmado! A Abflug agora trará os vinhos da Undurraga para o Brasil. Confira os detalhes:

Abflug é a nova importadora da Vinícola Undurraga no Brasil

Vinícola Chilena escolhe a importadora como sua aliada para novo momento da marca no país

A vinícola Undurraga, uma das grandes produtoras do Chile, escolheu a abflug vinhos como sua nova importadora e distribuidora exclusiva para o território nacional.

A ambição de ambas as empresas é de alcançar a marca de 100.000 caixas em vendas até o ano de 2016 e para isto estabeleceram um planejamento estratégico para aprimorarem sua abordagem aos clientes e consumidores no Brasil. O foco em marketing é uma característica marcante da abflug e da nova administração da Undurraga.

Os planos de negócios para desenvolvimento da marca Undurraga no Brasil passam por aumento dos esforços nas linhas Aliwen, T.H. (“Terroir Hunter”, ou “Caçador de Terroir”) e pelo lançamento dos seus espumantes do Novo Mundo que ainda não estavam presentes no país. Tanto os seus vinhos quanto os espumantes representam a excepcional evolução que a vinícola obteve nos últimos anos através da contribuição direta de um time de enologia best-in-class composto por Hernán Amenabar, Álvaro Espinoza, Rafael Urrejola, Carlos Concha e o assessor internacional Phillip Coulon (enólogo francês que foi Diretor Tecnico da casa de Champagne Moët & Chandon durante 30 anos, para a linha de espumantes do Novo Mundo Undurraga) além do assessoramento do especialista em terroirs Pedro Parra.

“Nossa intenção é nos diferenciarmos frente à vasta oferta de vinhos Chilenos. Para tal, seguiremos a nossa estratégia de investimentos sólidos na construção de marca, evidenciando os pontos de diferenciação de todo o portfólio Undurraga que oferece desde vinhos varietais jovens, frescos, e prontos para consumir até vinhos ícones”, comenta Marcelo Toledo, Diretor-Geral da abflug.

Com a missão de democratizar o consumo de vinhos de boa qualidade no país, a distribuidora pretende aumentar a penetração dos vinhos da Undurraga em ocasiões e regiões onde hoje o vinho possui pouca relevância.

“Temos grande expectativa de repetir no Brasil o enorme sucesso que estamos obtendo em os mais diferentes mercados ao redor do mundo. Para isso precisávamos de um aliado para desenvolver uma nova ótica para o mercado Brasileiro. Encontramos na abflug uma postura extremamente profissional e valorizamos muito o fato deles terem enorme compromisso com as vinícolas pertencentes ao seu portfólio.”, afirma Gabriel Ewards, Gerente de Exportação da Undurraga.

Sobre a abflug vinhos:

É uma companhia criada por um grupo de profissionais com experiência comprovada em corporações líderes das indústrias de vinhos e destilados, que decidiram lançar sua própria empresa. Construção de marcas, relacionamento de longo prazo com clientes e parceiros, excelência em vendas, inteligência de marketing, são alguns dos preceitos da abflug.

A distribuidora traz para o Brasil marcas de reconhecidas vinícolas do mundo – e o seu portfólio é propositalmente reduzido para garantir sólido investimento em marketing e alianças mais firmes com as vinícolas além de prestação de serviço diferenciado aos clientes. Entre os rótulos estão: “Portas de Lisboa”, da Casa Santos Lima (Portugal), CascinaAdelaide, vinícola localizada no coração da região de Barolo (Itália), os orgânicos Jean Bousquet (Argentina) e [yellow tail], marca australiana que revolucionou o mercado mundial de vinhos.

Saiba mais em www.abflug.com.br - www.undurraga.cl

Adega do Vinho promove encontro regado a vinhos chilenos


A Adega do Vinho recebeu nesta quinta-feira (17) diversos donos de restaurantes e jornalistas da cidade em encontro regado aos melhores rótulos da vinícola chilena Quintay. Na ocasião, a gerente de exportação da marca, María José Viera, contou um pouco de como os vinhos são produzidos e da influência marítima e das Cordilheiras que sofrem as vinhas, deixando o produto final mais delicioso ao paladar.


A casa é distribuidora exclusiva da marca no Brasil e no encontro foram servidos sete rótulos: Sauvignon Blanc, Carmenere, Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Pinot Noir, Syrah e o Pinot Noir Rose, eleito o melhor Rose do Chile pelo Guia Descorchados 2011. O Guia é uma publicação do jornalista e crítico chileno Patricio Tapia. A edição 2011 traz todas as novidades do mundo dos vinhos com informações de 1908 rótulos, sendo 85 de vinícolas argentinas e 140 chilenas.

A Adega comemora quatro anos no mercado de Brasília e está realizando diversas promoções na semana de aniversário, com destaque para a Quintay, com 20% de desconto em todas as lojas até hoje, 19 de novembro.


Adega do Vinho


Endereços:

Loja do SIA

SIA trecho 12- Lt 260- Lj.03- dentro do Posto Shell depois do Makro Atacadista (Tel: 3233.0004 )

Sudoeste

Quadra 104- bloco C- loja 18 (Tel: 3343.2626)

408 Sul

SHCS 408, Bloco B Asal Sul (Tel: 3443-0244)


Foto: Brito Jr.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

BRINDA BRASIL - 1º SALÃO DO ESPUMANTE DE BRASÍLIA

Brinda Brasil, o 1º Salão do Espumante de Brasília, é o maior evento brasileiro do gênero realizado fora do Rio Grande do Sul. Na Capital Federal, no dia 29 de novembro de 2011, no Complexo Brasil 21, estarão reunidas as principais vinícolas brasileiras produtoras de espumantes. O público vai poder experimentar mais de 60 rótulos diferentes e, se gostar, poderá comprar direto dos produtores e com DESCONTO.

A programação do Brinda Brasil também inclui palestras, que vão ensinar como degustar, qual a melhor harmonização e como se faz o espumante. O Brasil é considerado pelos especialistas internacionais como um dos três melhores produtores de espumantes do mundo. Nos últimos concursos internacionais, na Europa e nos Estados Unidos, os espumantes brasileiros faturaram 137 medalhas de ouro, prata e bronze.

Venha conferir, adquira seu ingresso antecipado. Doe um 1 kg de alimento não perecível.

COMO PARTICIPAR:

Você poderá participar de duas formas do Brinda Brasil:

1. Participação na programação de palestras e negócios (com degustação e possibilidade de aquisição de grandes volumes para eventos ou empresas, com descontos). Essa programação tem início às 14h e inclui palestras sobre espumantes, harmonização, viagens para a Serra Gaúcha, degustação de espumantes e opção de negócios com a vinícolas e seus representantes.

2. Participação aberta ao público, com degustação (à vontade) de espumantes e opção de compras de produtos, com descontos. Essa programação tem início às 19h.

Para se inscrever e garantir seu ingresso antecipado, acesse:
www.acessoeventos.com.br ou www.gourmetbrasilia.blogspot.com

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

14h - Enogastronomia
- Palestra do enólogo Adolfo Lona, presidente da Associação dos Produtores de Espumantes de Garibaldi-RS
- Palestra do sommelier e diretor técnico do Brinda Brasil, Gilvan Pires de Sá, diretor da Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho (SBAV-DF), sobre o surgimento e o processo de fabricação do espumante.
- Palestra do sommelier e curador do Brinda Brasil, Paulo Kunzler, sobre harmonizações com espumantes.
- Palestra sobre viagens para a Serra Gaúcha, pacotes para rotas específicas e lua de mel.
- Rodada de negócios - Compradores e vendedores, sob orientação do Sebrae, para acordos comerciais.
- Negociações individuais dos participantes com vinícolas e seus representantes para aquisição de
espumantes, no local, com descontos.
- Cotação on-line para anunciantes e compradores
17h - Cerimônia de abertura oficial
- Secretário de Turismo do DF
- Representante Sebrae-DF
- SBAV
- ABS
- Associação dos Produtores de Espumantes de Garibaldi-RS
- Direção do Complexo Brasil 21
- Presidentes de entidades do setor

19h às 24h – Degustação de espumantes

- Participação do público para experimentar e comprar espumantes com descontos

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Degustação de Vinhos Latino-Americanos no Jantar de Confraternização do GRULAC

No último dia 7, tive a honra de participar do jantar de confraternização do GRULAC BRASIL, oportunidade em que foram degustados vinhos latino-americanos.
O evento, realizado no restaurante Dom Francisco, na 402 Sul, em Brasília, contou com a participação das seguintes autoridades:

Embaixador de la República Dominicana, Héctor Dionisio Perez, Presidente do GRULAC
Embaixadora do Panamá, Gabriela Carranza, membro da direção do GRULAC
Embaixador do Haití, Idalbert Pierre
Embaixador do México, Alejandro de la Peña, esposa e filho
Embaixador do Chile, Jorge Montero e esposa
Embaixadora de Barbados, Ivette Goddard
Embaixador do Equador, Horacio Sevilla-Borja e esposa
Conselheiro do Chile, Pedro Andrés González
Conselheiro do Suriname, Ruivan Gilian Adjato
Ministro Antonio Tabajara, Chefe do Departamento da América Central e Caribe do Itamaraty, e esposa
Conselheira da Embaixada da República Dominicana, Maria Eugenia Dargam

A prova dos vinhos teve início como espumante brasileiro Luiz Argenta Brut. Também do Brasil, foi servido o Cordilheira de Santana Gewürztraminer 2009. Seguiram-se o chileno Clava Quintay Syrah 2010 e os uruguaios Montes Toscanini Tannat 2007 e Juan Carrau Tannat Reserva 2009. O vinho de sobremesa argentino Navarro Correas Cosecha Tardia 2007, um corte de Sauvignon Blanc e Semillon.
A grande surpresa foram os vinhos mexicanos, todos da região Baja California, que não estavam no programa original e foram trazidos pelo embaixador do México, Alejandro de la Peña. O primeiro deles foi um branco, Santo Tomas 2007, 100% Chardonnay. Também foram servidos o Calixa 2007, feito de Cabernet Sauvignon e o TXTURA 2007, um corte de Tempranillo, Zinfandel e Grenache.

Mas o vinho mexicano que realmente me agradou foi o L. A. Cetto Reserva Privada 2005, elaborado com Nebbiolo. Bastante equilibrado, esse vinho apresentou uma acidez viva, a despeito da "idade". Arrisco dizer que foi o vinho mais interessante da noite!
O que é o GRULAC?

O GRULAC BRASIL(Grupo de embaixadores latino-americanos e do Caribe) é uma entidade composta por chefes de missões diplomáticas dos países da América Latina e do Caribe com representação junto ao Governo do Brasil, que visa articular e defender os interesses convergentes entre os países membros, com o planejamento e execução de atividades conjuntas com vistas a promover o aprofundamento e diversificação das relações desses países com instâncias oficiais e privadas brasileiras.

Atualmente, o GRULAC é presidido pelo embaixador da República Dominicana, Héctor Dionisio Pérez. Segundo ele, durante o período de sua presidência do GRULAC, vai guiar a sua administração para desenvolver um programa de ampliação da participação de representantes dos países membros em vários fóruns e espaços de exercício diplomático no Brasil, com especial ênfase no fortalecimento institucional do grupo, na defesa de seus interesses comuns perante as autoridades brasileiras e na interação com organizações e associações representativas de vários setores do Brasil.

domingo, 13 de novembro de 2011

Visita à vinícola Albert Bichot

No centro de Beaune, capital vinícola da Borgonha, visitei, em agosto, outro conhecido produtor de vinhos: Albert Bichot, que data de 1830. O diretor comercial da empresa, o comunicativo Christian Ciamos(foto), recebeu-me na sede da empresa.

Ali provamos oito vinhos, no total. Os brancos eram todos da safra 2008: Bourgogne Vieilles Vignes, Chablis 1er Cru Vaucopins “Domaine Long Depaquit” e o majestoso Moutonne Chablis Grand Cru “Domaine Long Depaquit”. De longe, o melhor vinho desta prova.

Entre os tintos, três da safra 2008: Bourgogne Vieilles Vignes e Pommar Clos des Ursulines “Domaine du Pavillon” e o Nuit-Saint-Georges. Os da safra 2009 foram o Mercurey “Domaine Adélie” (bem mineral, o tinto que mais me agradou) e o Vosne-Romanée “Domaine du Clos Frantin”.

A importadora brasileira dos vinhos Albert Bichot é a Winebrands.

sábado, 5 de novembro de 2011

Visita à Maison Louis Latour

Como eu já disse aqui, fui à Borgonha em agosto deste ano. Ali, visitei a Maison Louis Latour, casa fundada em 1797. Fui até a sede da empresa no centro de Beaune. De lá, na companhia da simpática relações públicas do grupo, Anne Charpin, fui conhecer uma das principais propriedades dos Latour, o Château Corton Grancey. Com seus belos vinhedos, localiza-se em Aloxe-Corton, na Côte de Beaune.

Pude conhecer sua adega secular, que ostenta vinhos de safras antiquíssimas, inclusive de 1870. Mas esses já são verdadeira peça histórica.
Bem mais jovens, os vinhos que provei foram realmente muito bons. Entre os brancos, iniciei com Pouilly-Fuissé 2010. Os demais eram todos da safra 2009: Mersault 1er Cru “Château de Blagny”, Puligny-Montrachet 1er Cru e o Corton-Charlemagne Grand Cru. Os tintos também eram da safra 2009: Marsannay, Chassagne-Montrachet, Gevrey-Chambertin 1er Cru e o Château Corton Grancey Grand Cru. Mesmo ainda sendo muito jovens, já mostram bem seu potencial. Destaque para o último tinto, um belíssimo vinho.

domingo, 30 de outubro de 2011

Visita à vinícola Drouhin, na Borgonha

No último mês de agosto, estive na Borgonha. Entre as vinícolas que visitei, está a Joseph Drouhin (data de 1880). O “elétrico” Frédéric Drouhin(foto), presidente da tradicional vinícola, recebeu-me e me conduziu pelas instalações, no centro de Beaune (sob Beaune, para ser mais exato), que rendem um livro de história. Parte da cave data do século XII e é conhecida como “Adega do Rei da França”. As partes mais “novas” são a “La Collégiale” (século XIII) e a “Adega dos Duques da Borgonha” (século XV). Um lugar magnífico e único.

Dentro desse verdadeiro monumento histórico, pude provar os seguintes brancos: Saint-Véran 2009, Puligny-Montrachet 2008, Chablis Grand Cru Les Clos 2008, Clos des Mouches 2009. Os tintos: Chorey-Les-Beaune 2008, Gevrey Chambertin 2007, Chambolle-Musigny 1er Cru 2007, Clos des Mouches 2009 (o que mais me agradou, grande complexidade aromática e muita elegância na boca). Por fim, provei um Domaine Drouhin 2006, um vinho poduzido no estado do Oregon, nos EUA, pela família Drouhin.

Os vinhos da Drouhin chegam ao Brasil pela importadora Mistral.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Encontro de Vinhos em Ribeirão Preto

Em seu segundo ano, o Encontro de Vinhos firma-se como maior evento do setor na região.


Após grande sucesso em 2010, quando trouxe a Ribeirão Preto o evento que já é consagrado em São Paulo, o Encontro de Vinhos firma-se como o maior evento do setor da região.


Devido ao crescimento da quantidade de expositores e do aumento do interesse do público, o evento esse ano será realizado no Hotel Resort JP, que fica na Rod. Anhanguera, com fácil acesso para os moradores de Ribeirão Preto e Região.


Essa ediçãocontará com 30 expositores, sendo importadores e produtores de vinho. Os visitantes poderão degustar todos os vinhos de todos os expositores, abrindo assim seu leque de conhecimentos sobre o vinho e tendo contato mais próximo com os profissionais do setor.


Os expositores prometem levar grandes novidades e lançamentos. Dentre os que já participaram de outras edições estão Mercovino, Expand, World Wine, Max Brands, Wine Experience, MS Import, Porto Mediterrâneo, Chaves Oliveira, Wine Lovers, Au Vin e outros. Há também vários novos expositores como a Casa Aragão e Espaço DOC.


A presença de grandes vinícolas brasileiras como a Casa Valduga, Domno do Brasil e Vinícola Aurora representa muito bem a produção nacional, que vem crescendo em qualidade e sempre teve o apoio do evento para a sua divulgação.


Como sempre, haverá a eleição dos melhores vinhos da feira, através de uma degustação àscegas que contará com a participação de jornalistas, sommeliers, blogueiros e especialistas do vinho do Brasil. O resultado é revelado durante o próprio evento e é sempre um ótimo momento para se conhecer bons vinhos eleitos por experts.


A entrada custa 60 reais e dá direito a provar todos os vinhos.

Encontro de Vinhos Ribeirão Preto - 08 de Outubro de 2011 – das 14h as 22h
Hotel JP – Rodovia Anhanguera, Km 360,5 – Ribeirão Preto

Entrada: R$ 60,00 (na hora) – Dinheiro / Cheque / Cartão de crédito

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Prosecco Adriano Adami em Brasília

Na última sexta-feira, no piso superior do Restaurante Gazebo, pude provar os ótimos Proseccos do Adriano Adami, que são trazidos ao Brasil pela Mistral. A prova, organizada pelo amigo João Baptista Bonato, contou com a presença do Diretor da vinícola, Enrico Valleferro(foto), que explicou os detalhes dos espumantes italianos.
Entre os vinhos provados, o que mais me agradou foi o Bosco di Gica Brut, um corte de Glera(95%) e Chardonnay(5%).

sábado, 6 de agosto de 2011

Lançamento do Dicionário Ilustrado do Vinho do Porto - Embaixada de Portugal


Na última quarta-feira, fui ao lançamento do Dicionário Ilustrado do Vinho do Porto, que ocorreu na Embaixada de Portugal, em Brasília. O evento, que contou com uma apresentação de um vídeo de Amália Rodrigues num concerto em Nápoles, teve seu apogeu no emocionado discurso dos autores, Carlos Cabral e Manuel Pintão (ao centro, na foto - à esquerda, Petrus Elesbão).

Segundo Cabral, o Dicionário tem seu lançamento em Portugal previsto para o mês de outubro.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Segundo site italiano, Prosecco Garibaldi é "falso"


Os italianos continuam em sua cruzada para proibir o uso do termo "Prosecco" por produtores de espumantes de fora do Vêneto. Eles adotaram o nome "Glera" em substituição ao nome da uva e "Prosecco", ao menos por lá, ficou restrito ao nome da região demarcada. E é isso que eles defendem: somente os vinhos da região demarcada poderiam usar o termo.

E o alvo da vez foi o espumante brasileiro Garibaldi. O site da ANSA diz que o espumante é "falso", numa alusão ao uso da expressão "Prosecco". Relatam, ainda, que, na Alemanha, há o "Prisecco", o que também seria um uso indevido do termo. Mesmo tratamento é dado ao King Valley Prosecco Road, da Austrália.

Foto: Stephanie Berghaeuser

Pós-graduação em administração de negócios do vinho

Em 2009, destaquei aqui a criação do curso de pós-graduação em administração de negócios do vinho no SENAC, em São Paulo. Agora, encontrei um vídeo sobre esse curso. Confira:

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Brasília recebe degustação de Vega-Sicilia

Uma oportunidade única (sem trocadilho) para quem quer provar diversas safras do grande vinho espanhol Vega-Sicilia. A condução da degustação vertical terá a condução de Marcelo Copello.

Data – 18/08/11 – 5a feira
Hora – de 19:45 às 23:00 (às 19:45, os pontuais serão recebidos com cavas e, às 20:00, a degustação terá início)Endereço – Restaurante Dom Francisco (SCLS 402 bloco B loja 5, tel 3224-1634, Brasília-DF)

Programa

Boas vindas com espumante espanhol Cava Castellroig Brut, Penedes

Aula didática de Marcelo Copello sobre as safras, a Bodega Vega Sicilia e o UNICO

Degustação orientada dos seguintes vinhos (50ml de cada vinho por pessoa):

Vega Sicilia Unico 1999

Vega Sicilia Unico 1998

Vega Sicilia Unico 1996

Vega Sicilia Unico 1995

Vega Sicilia Unico Reserva Especial (safras 90, 91, 95)


Após a vertical, jantar completo.

Entrada: Salada de folhas verdes e lagostin.

Prato Principal: Ossobuco assado com polenta branca trufada.

Sobremesa: Torta de castanha do Pará com sorvete de tapioca. Água e Café.


Vinhos do Jantar:

Emina Verdejo 2010, Rueda, Espanha (Branco)

Emina 12 meses 2007, Ribeira del Duero, Espanha (tinto)

Santa Rita Late Harvest Moscatel 2009, Chile

Preço: R$ 890,00 até o dia 10/08, após R$ 1.100,00

INSCRIÇÕES

Dom Francisco 402 tel: 61- 3224 1634 em Brasília ou com Renata (e-mail: marketing@mardevinho.com.br ), tel (021) 3507 0337 no Rio de Janeiro.

*Inscrições só serão confirmadas mediante comprovação de pagamento.


Baixe um aplicativo da Concha y Toro para iPhone, BlackBerry ou Android e concorra a um iPad 2

Se você gosta de vinho, tem um iPhone, um BlackBerry ou um celular com a plataforma Android, pode aproveitar a oportunidade de baixar um aplicativo para o seu celular e concorrer a um iPad por mês, até dezembro. Para isso, você precisará responder corretamente às questões (todas relacionadas a vinho) que receberá por meio do aplicativo. Todo mês, além do iPad, o vencedor (sorteado entre os "top 10") leva também uma caixa de vinho com 5 variedades do Marques de Casa Concha. Este (sem o iPad, claro) também é o prêmio para quem ficar em segundo e em terceiro lugar. Gostou? Então clique na imagem abaixo e siga as instruções:
Fonte: Nación

Não sabe como tirar mancha de vinho tinto? Seus problemas acabaram!!!

Tirar mancha de vinho tinto, de molho de tomate, de tinta de caneta e até de sangue! Ao menos essa é a promessa dos coreanos do Wine Eraser (na embalagem que aparece no vídeo está Wineraser, apesar de nas outras indicações estar separado). Segundo o fabricante, o produto é feito com "extratos naturais" (só não diz quais são). Assista ao vídeo de "muito bom gosto" (ligue o som ou perderá a instigante trilha sonora!):



Até agora não vi esse produto à venda por aqui. O Chiquinho Badaró falou, há uns anos, de um "spray cítrico" da Wine Enthusiast, bem semelhante, e que, segundo o Chiquinho, funciona. O Alexandre Frias também ofereceu uma alternativa: espuma de barbear! Mas só resolve se você rezar!!!

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Itália: exportações aumentam 14% no primeiro semestre

A despeito do consumo interno estável, as exportações italianas de vinho aumentaram 14%, em volume, no primeiro semestre de 2011, em comparação com o período equivalente de 2010. Em termos de valores, o aumento foi de 13%.

Se forem considerados apenas os vinhos espumantes, o incremento é bem superior: 21% em volume e 22,5% em valores.

Fonte: ANSA - Foto: Dariusz Rompa

Importadora Mistral: Jantar Harmonizado com Vinhos Nativa

Como os lugares são muito limitados, por favor reserve sua participação com antecedência pelo telefone (61) 3321-2040

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

ENCONTRO DE VINHOS

Os caros amigos Beto Duarte e Daniel Perches estão com a corda toda. Confira os detalhes do evento:

Vem aí mais uma edição do Encontro de Vinhos em São Paulo

Em seu terceiro ano, o Encontro de Vinhos mantém a tradição do local

Com 27 expositores e uma forte tendência Gourmet, o Encontro de Vinhos vem se tornando referência em modelo de evento do segmento no Brasil.

Em seu terceiro ano de existência, o Encontro de Vinhos continua a sua tradição e será realizado no Hotel San Raphael, no Largo do Arouche, centro de São Paulo.

O formato se mantém com os expositores distribuídos em mesas para a apresentação de seus vinhos e para essa edição há uma maior participação de produtos Gourmet, como os queijos nacionais e importados da JF Laticínios, os produtos congelados da Voilà Gourmet, dentre outros.

Os expositores prometem levar grandes novidades e lançamentos. Dentre os que já participaram de outras edições estão Ravin, Cantu, Expand, Wine Society, Max Brands, Wine Experience, MS Import, Smart Buy Wines, Emporio Sorio e outros. Há também vários novos expositores como a Hedoniste, uma importadora nova especializada em Champagnes. Outros estreantes também prometem levar grandes vinhos, como a Concha y Toro, a Vinhos do Mundo e a Dominio Cassis.

O Encontro de Vinhos tem parceria com o Ibravin, trazendo alguns produtores brasileiros para o evento como a Casa Valduga e a Domno do Brasil.

Como sempre, haverá a eleição dos melhores vinhos da feira, através de uma degustação às cegas que contará com a participação de jornalistas, sommeliers, blogueiros e especialistas do vinho do Brasil. O resultado é revelado durante o próprio evento.

A entrada custa 60 reais e dá direito a provar todos os vinhos e os produtos Gourmet.

Encontro de Vinhos São Paulo
04 de Agosto de 2011 – das 12h as 22h
Hotel San Raphael – Largo do Arouche, 150 – Centro – São Paulo
Entrada: R$ 60,00 (na hora)

Informações:
Beto Duarte – beto@encontrodevinhos.com.br / (11) 9108-5781
Daniel Perches –
daniel@encontrodevinhos.com.br / (11) 8453-0001

domingo, 31 de julho de 2011

Vinho do Porto ganha dicionário exclusivo

Enófilo e consultor de vinhos do Grupo Pão de Açúcar, Carlos Cabral, lança Dicionário Ilustrado do Vinho do Porto em parceria com o português Manuel Poças Pintão

Em agosto, o enófilo e consultor de vinhos do Grupo Pão de Açúcar, Carlos Cabral, volta a Brasília para o lançamento do Dicionário Ilustrado do Vinho do Porto. O livro é o segundo do especialista dedicado ao vinho mais famoso de Portugal e que caiu no gosto dos brasileiros. Trata-se de um dicionário único e pioneiro no mundo dos vinhos. O lançamento da obra para convidados e imprensa será no dia 3 de agosto, na Embaixada de Portugal, às 19h.

A ideia de elaborar o Dicionário Ilustrado do Vinho do Porto surgiu em setembro de 2004. Para a tarefa, Carlos Cabral convidou o português Manuel Joaquim Poças Pintão, que, por 53 anos, foi administrador da Casa Vinícola Manoel D. Poças Junior, fundada em 1918. Da amizade entre Cabral e Manuel Joaquim e do interesse de ambos pelo Vinho do Porto, nasceu o dicionário temático que reúne mais de 3 mil verbetes e 620 ilustrações em 575 páginas.

“Minha amizade com Manuel Joaquim começou em 1980. Ao longo dos anos trocamos informações sobre a história do vinho, a manutenção das tradições, a comercialização e a melhor participação do Porto no mercado brasileiro. Ele dedicou toda a sua vida ao Vinho do Porto e não poderia simplesmente se aposentar. Foi quando escrevi a ele falando da ideia do Dicionário. Seis anos depois o livro está pronto”, comemora Cabral.

Partindo da vasta biblioteca que possuem sobre o assunto, muitas viagens entre Brasil e Portugal e pesquisas em campo, os autores abordam 55 temas no dicionário. Entre os títulos estão as casas produtoras de Vinho do Porto, a história e geografia da região do Douro, o folclore, a legislação e o controle de qualidade da bebida, o comércio local e internacional, as castas cultivadas, além da história e dos tipos.

“O Vinho do Porto merecia esta obra, pois já está entre nós há 400 anos e tem muitos admiradores. É um vinho que caiu no gosto dos brasileiros, que procuram cada vez mais conhecer o produto. No Grupo Pão de Açúcar oferecemos mais de 40 rótulos de vinhos portugueses, a metade deles é do Porto”, explica Cabral.

O autor

Carlos Ernesto Cabral de Mello estuda o universo dos vinhos desde 1969. Em 1980, fundou a Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho (SBAV) e é membro da Confraria de Vinho do Porto. Desde 1997, é consultor nacional de vinhos do Grupo Pão de Açúcar, definindo os rótulos que estarão nas prateleiras dos supermercados. É responsável pela formação de atendentes especializados em vinhos, que orientam os clientes nas compras. O Dicionário Ilustrado do Vinho do Porto, publicado pela Editora de Cultura, é o quarto livro do autor.


Foto: www.carloscabral.com.br