quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Torre de Tavares - Entrevista com João Malheiro Tavares de Pina

Fiz uma breve entrevista com João Tavares de Pina (eu já falei de outros vinhos dele aqui no blog), produtor português de vinho, sobre seus mais recentes lançamentos. Confira:

Como você definiria seus dois lançamentos do Torre de Tavares, o Encruzado 2008 e o Regional Beiras 2009? Quais as principais particularidades?

Ambos são produzidos com uvas de vinhas velhas. O Torre de Tavares Encruzado 2008 é um branco do Dão, bastante estruturado, uma das grandes características desta casta. O vinho foi parcialmente fermentado em barricas (30%). Foi engarrafado em Julho de 2009. Descansou um ano na garrafa, e, vamos agora iniciar a sua comercialização. São excelentes vinhos para a mesa, têm um enorme carácter gastronómico, uma acidez fantástica, e, possui uma grande austeridade, notas muito minerais e de fruta branca, sobretudo o marmelo, que é excepcionalmente fresco e elegante. A madeira, já bem harmonizada, favorece-lhe o volume e dá-lhe a complexidade das notas mais secas.
A Síria, um Regional Beiras Torre de Tavares 2009, produzido na região da Vermiosa, junto a Almeida, e ao lado da fronteira espanhola, numa região a uma cota de 600 m, muito fresca e seca, que produz vindimas quase em finais de Outubro, é um vinho com um frescor monumental, de volume médio. Apresenta também uma interessante mineralidade, notas cítricas e de tangerina, os principais descritores da casta.


Quantas garrafas foram produzidas de cada um deles?

Sou um produtor de dimensão muito reduzida, como a generalidade dos produtores independentes da região do Dão. Nem estes vinhos poderiam também ser produzidos em quantidades muito grandes. A maioria das vinhas velhas desta região possui uma viticultura bastante rudimentar e com muitos problemas. A vindima, felizmente e invariavelmente, ainda é feita à mão, e a uva é completamente escolhida à entrada da adega. Temos rendimentos muito baixos neste trabalho de selecção, que normalmente só eu e o Hugo, o meu braço direito, fazemos. Chegamos a ter rendimentos de escolha da ordem dos 80kg por hora. Para o Encruzado, que produzimos 2980 garrafas estivemos a escolher uva, bago a bago, 24horas. Da Síria, a produção também são 2950 garrafas.


Qual o valor estimado para o consumidor final, em Portugal?

O Torre de Tavares Encruzado DOP DÃO é comercializado à volta dos 12 Euros e o Regional Beiras Torre de Tavares Branco produzido com a casta Síria por 8 euros.

Planeja exportar esses vinhos?

A maior parte dos vinhos que produzo são exportados. O meu mercado principal é a Bélgica e depois a Alemanha e Holanda.

Gostaria também de vir a ter os meus vinhos no Brasil. Gostaria de encontrar um apreciador de vinhos de Terroir, de vinhos naturais, de vinhos com muito carácter.

Os Terras de Tavares e Torre de Tavares são vinhos para consumidores evoluídos, para consumidores inteligentes, que procurem vinhos completamente distintos e diferenciados dos vinhos globais produzidos com as vulgares castas internacionais. Os Terras de Tavares e Torre de Tavares são produzidos a partir de castas autóctones, regionais, que não existem em mais nenhuma parte do mundo. São únicos, produções muito limitadas. Os tintos, são vinhos com grande estrutura, com fantástico tanino e acidez, que lhes conferem uma especial aptidão gastronômica.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Parece bomba de posto de gasolina, mas é de vinho!

A inusitada máquina está presente em oito supermercados franceses. Com ela, você compra vinho a granel, levando seu próprio recipiente. Segundo a responsável pela geringonça, Astrid Terzian, o conceito atende, de uma só vez, a dois públicos: os preocupados com o meio ambiente e aqueles que querem economizar. Pelo fato de se reutilizar embalagens, há a redução da emissões de carbono e do preço.
Cada litro sai por 1,45 euro. Assim, 750ml (conteúdo das garrafas de vinho"padrão") sairia por 1,08 euro, o que equivale a algo em torno de 2,43 reais.Os vinhos variam. Entre eles, há um "vin de pays méditerranée", da safra 2009, do Rhone.

Fonte/Foto: Dr.Vino

sábado, 11 de setembro de 2010

James Bond & Bollinger

O agente 007 às voltas com o mais nobre dos espumantes: o Champagne!

Wine Bottle USB Speaker and FM Radio: som para enófilos

Se bugigangas ligadas ao vinho, ainda que indiretamente, fazem seu gênero, este produto é para você!
Com o Wine Bottle USB Speaker and FM Radio você pode ouvir suas músicas gravadas em um pente de memória ou num dispositivo usb. Pode, ainda ouvir rádio FM. Acompanha controle remoto.
Custa 27 dólares nos EUA.

Fonte/fotos:
Gadget4all via Switched

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Bodegas Carrau

No último mês de agosto, estive no Uruguai. Lá, pude visitar as Bodegas Carrau. Ao lado de Margarita Carrau, responsável pelo marketing da empresa, de seu irmão, Francisco, enólogo da casa, e de Nicolás Neme, diretor de exportações, pude provar uma dezena de vinhos. Os que mais me agradaram foram os seguintes:

PINOT NOIR DE RESERVA 2009 - Esse vinho me surpreendeu pela sua ótima acidez, raramente presente em "pinot´s" do novo mundo, sobretudo aqueles com estágio em barricas. Segundo Francisco, o vinho passou apenas 4 meses em barricas de carvalho francês, embora, em safras anteriores, já tenha chegado a 10 meses. Infelizmente, este belo pinot ainda não tem importador no Brasil.
AMAT 2005 - o Tannat topo de linha da Carrau. Um vinho de ótima estrutura e com taninos bem vivos, que ainda pedem alguns anos de garrafa. Você se lembra que, em 2008, fiz uma postagem dizendo que um vinho da Carrau estava no livro "1001 wines you must taste before you die"?. Foi o AMAT 2002, que também provei recentemente. Está pronto, bem evoluído, com taninos redondos e boa complexidade aromática. No Brasil, o AMAT é importado pela Zahil.

VILASAR 2000 - O vinho mais interessante que provei ali. Elaborado com a casta Nebbiolo. Incomum, seu açúcar residual é praticamente imperceptível. Mesmo com a idade já “avançada”, revela uma bela acidez e taninos elegantes. A importação desse vinho é feita pela Vinhos do Mundo.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

100 vinhos de 100 pontos


Eu sempre deixei clara minha opinião sobre essa história de "pontos" para vinhos. Respeito as opiniões contrárias, mas não dou realmente bola para esse tipo de coisa. Mas, como a maioria dá (e, literalmente, paga o preço), os organizadores do leilão do Naples Winter Wine Festival, na Flórida (EUA), oferecerão um lote de 100 vinhos que levaram 100 pontos de Robert Parker, o mais influente críticos de vinho mundo afora.

Rótulos de grande renome estão, naturalmente, nesse lote. Entre eles, estão um Chateau La Mission Haut-Brion 1955, um Chateau Pétrus 1989 e um Romanée-Conti 1985.

A causa é nobre: os valores arrecadados serão revertidos em favor de obras de caridade para crianças. Desde 2001, 82,5 milhões de dólares já tiveram essa destinação.

E uma notícia dessas só poderia vir hoje, dia em que o glorioso Sport Club Corinthians Paulista comemora seu centenário!!!

Salve o Corinthians!!!

Fonte/Foto: Paul Frasier